Cabelo Dreadlock


Os dreads se originaram com o movimento dos rastafáris. Sabe-se que provavelmente foram os habitantes da região da África que começaram a utilizar os dreads, por questão de praticidade, pois era difícil cortar os cabelos e com isso acabavam se tornando muito longos. 



O movimento continua crescendo e ganhando muitos adeptos entre os jovens. Os dreadlocks, como também são chamados, não se fazem, cultivam-se. E, para cultivá-los, são necessários cuidados com a manutenção, além de entender o que significa o penteado, a identidade negra e a cultura africana.


Como se faz o dread?



1. Separe o cabelo em várias mechas e penteie cada uma delas no sentido contrário, em direção à cabeça, para desfiar e embaraçar os fios. É bom usar um pente fino de aço, que não quebre à medida que o cabelo embaraça.
- Até aqui, a técnica leva o nome de backcombing e já rende um visual legal, que pode ser desfeito com muita água morna e condicionador.
2. Feita a maçaroca, enrole as mechas para fazer um “tubo” de cabelo com cada uma delas. Depois, use o pente no sentido contrário ao do enrolar para embaraçar mais um pouco. Repita esses passos algumas vezes, até ficar bem firme.

3. Para os nós do cabelo não soltarem, espete uma agulha de crochê na mecha e puxe os fios. Com essa técnica, chamada de “dread needle”, o tufo fica mais coeso e só sai cortando o cabelo na raiz.

Dicas para cultivar os dreads:
- À medida que os cabelos vão crescendo, é preciso enrolar de novo os fios. Faça manutenção de dois em dois meses;

- Evite o contato de bandanas, aflanelados ou toalhas felpudas que possam soltar partículas que acumulem ao dread;
- É aconselhável lavar os cabelos regularmente com xampus anti-resíduos ou sabonetes de coco. Nada de condicionador!
- O secador deve estar sempre na temperatura fria para evitar que a umidade prejudique os fios;
- Deve-se ficar atento ao mau cheiro, que indica presença de fungos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário